felicidade_psicologia

Quem se trata com psicólogo é louco?

Você tem medo ou conhece alguém que tenha medo de: morrer, andar de elevador ou avião, falar em público, altura, escuro, entre outros?

Você já sentiu uma sensação de desespero, de medo intenso, algo que te deixou extremamente ansioso, com o coração acelerado, suor excessivo, pele pálida, boca seca… diante de uma competição, entrevista em uma empresa, ou um encontro importante?

Quem passa pelas situações acima é considerado louco?

É claro que não. Então vamos esclarecer. Tudo que está em excesso ou falta dentro de um sistema complexo harmonioso, no corpo ou na mente, está em desequilíbrio. Assim como há as doenças físicas que requerem vários cuidados e tratamentos, existem as doenças mentais, chamadas de transtornos mentais, que também podem ser tratadas e corrigidas resultando em uma melhor qualidade de vida.

Além dos transtornos mentais mais graves que incluem a “loucura”, existem desequilíbrios e limitações que afetam as pessoas, impedindo-as de desfrutar o bem-estar merecido. Qualquer emoção frequente e em nível elevado, ou comportamento constante que traga mais tumulto do que bem-estar merece ser tratado. Isso não é loucura, são desequilíbrios que limitam as pessoas e ocasionam problemas no futuro, inclusive físicos. Pessoas muito ansiosas, ou que estejam apresentando muito medo em relação a algo são exemplos que podem procurar um psicólogo para conseguir equilibrar essas sensações.

Ressalto que o psicólogo não trata apenas transtornos graves. E há muitos que nem se especializam nesses tratamentos. Assim como médicos possuem especializações – ortopedista, cardiologista, pediatra, o mesmo ocorre na psicologia. O psicólogo oferece tratamento psicoterapêutico ou terapia, enquanto o psiquiatra faz tratamento medicamentoso.

Os psicólogos estão aptos a diagnosticar e propor um tratamento por meio de diversas técnicas que visam uma adaptação mais adequada da pessoa com ela mesma, com o outro e no meio em que vive, respeitando sua especialização.

É por meio do diálogo bem direcionado e embasado em técnicas bem estruturadas que o psicólogo realiza seu trabalho. Está longe de ser bate-papo, opinião, palpite ou julgamento, muito menos crítica. O psicólogo estuda por cinco anos na graduação, para depois se especializar e dominar a condução do diálogo na psicoterapia. Com os conhecimentos adquiridos sobre o cérebro pela Neurociência há ainda uma maior eficácia no tratamento.

Um exemplo é uma pessoa com depressão que está num nível que necessite de medicação. O remédio vai ajudá-la, com toda certeza, mas é importante paralelamente um tratamento psicoterápico para auxiliá-la a mudar os pensamentos limitantes, negativos, e as emoções ruins que nutrem a depressão. Com isso, a pessoa aprende novos recursos em como lidar com as limitações próprias do quadro depressivo. Quando o médico suspender a medicação e a química do corpo estiver mais equilibrada, a psicoterapia terá proporcionado mais recursos e autoconhecimento psíquico e emocional para que a pessoa desfrute de sua saúde com independência e liberdade.

Está na hora de atribuir um novo sentido ao profissional Psicólogo e à Psicologia, um sentido mais leve e colorido, queremeta à saúde, bem-estar e qualidade de vida psíquica e emocional, indicado a todos indiscriminadamente.

Pense nisso!!!

Tenha um ótimo final de semana! Até a próxima 6ª feira.

Comentários

There is no ads to display, Please add some

Publicado por

facebook-profile-picture

Káthia Regina

Káthia Regina é pós graduada em Psicoterapia Breve, Cognitiva Comportamental e Psicossomática. Mestre em Psicologia da Saúde, Doutora em Neurociência e Especialista em EMDR (Traumas). Possui trabalhos desenvolvidos em ambulatório FMUSP e FMABC. Adora a profissão, dá ênfase ao bem-estar, satisfação e qualidade de vida. Seu objetivo é complementar e ampliar o potencial humano em sua concepção de ser, mente e corpo. Email: kathia4fitclub@gmail.com Instagram: @kathia4fitclub

4 comentários em “Quem se trata com psicólogo é louco?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>