gluten-e-lactose

Glúten e Lactose são inimigos mesmo da dieta?

Atualmente dietas zero glúten e zero lactose têm feito o maior sucesso quando o assunto é redução de peso. Mas será que isso faz sentido?

Para entender melhor vamos saber o que cada um desses nutrientes são, sendo que ambos trazem um grupo de pessoas que possuem intolerância a eles.

A Lactose é o açúcar encontrado no leite de vaca, cerca de 2 a 8%. No organismo é digerida no intestino delgado, onde encontramos a enzima Lactase responsável pela quebra da lactose gerando dois açúcares simples: glucose e galactose. Por ser um carboidrato, a cada grama podemos contar com quatro calorias. A intolerância à lactose ocorre quando a digestão não é completa e fica na flora intestinal, causando gases, inchaço abdominal, flatulências, entre outros sintomas.

O Glúten é a principal parte de proteína encontrada no trigo, cevada, centeio e aveia. A palavra glúten vem do latim, e significa cola, ou seja, uma substância viscosa que dá a liga nas receitas e a característica de macio. A intolerância ao glúten é conhecida como Doença Celíaca, uma reação autoimune do organismo. As células de defesa atacam o glúten, mas, ao mesmo tempo, atacam também as paredes do intestino, provocando uma atrofia na mucosa intestinal que impede a absorção dos nutrientes.

Mas e em relação à dieta?

Quando nos referimos à lactose não há nada que podemos dizer que vá “impedir” a perda de peso. Porém, o leite existe em três versões: o integral, com grande concentração de gordura saturada (3%), o semidesnatado, com uma pequena redução da gordura saturada (2,9 a 0,6%) e o desnatado com redução quase total da gordura (0,5%). Levando em consideração este quesito, o leite causa sim interferências na dieta. Além disso, a cada 100 ml de leite ingerimos 50mg de sódio, que caso não seja controlado pode nos proporcionar um inchaço derivado de retenção hídrica.

Mas antes de excluir este alimento de sua dieta, consulte seu nutricionista, pois o leite fornece vitaminas e minerais essenciais para nosso dia a dia, principalmente o cálcio. Então, devemos substitui-lo por outros alimentos que também sejam fonte de cálcio.

Em relação ao Glúten, que encontramos em pães, massas, bolos, biscoitos, entre outros carboidratos, sua redução na alimentação implica também na redução de calorias e, consequentemente, no peso, algo que acontece em qualquer tipo de dieta, com ou sem restrição do glúten. Quando ingerido em excesso, o glúten pode provocar a diminuição da produção da serotonina, o que leva a um quadro de depressão mesmo nos indivíduos que não possuem nenhum problema de hipersensibilidade a essa proteína.

Então, cuidado na hora de cortar alimentos de sua alimentação sem orientações corretas. Muitas vezes perdemos vitaminas e nutrientes com esta atitude. Lembre-se de sempre contar com seu nutricionista para uma dieta saudável e balanceada.

Comentários

There is no ads to display, Please add some

Publicado por

facebook-profile-picture

Nathália Espin

Nathália Espin, 23 anos, formada em Nutrição e pós-graduada em Bases Nutricionais do Esporte – Nutrição Esportiva. Atua na área de Nutrição Clínica com esportistas e atletas de diversas modalidades, além de crianças, obesos, gestantes, idosos, ou seja, todos aqueles que buscam melhora na qualidade de vida. Apaixonada pelas incríveis transformações que uma boa alimentação é capaz de fazer na saúde, mente e corpo. Email: nutri.espin@gmail.com Instagram: @nutriespin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>